#hashtag

Mídias sociais e a vida em rede

Perfil Ygor Salles é editor-adjunto de Mídias Sociais da Folha

Perfil completo

Internautas reclamam e fazem piada de iluminação no debate da Record

Por Ygor Salles
20/10/14 00:34

O debate de presidenciáveis na Record não trouxe nada de muito novo em relação aos anteriores, o que desviou a atenção dos internautas para os problemas de iluminação no cenário da emissora paulista.

Junto com as reclamações também vieram as teorias conspiratórias e piadas, muitas piadas.

Veja as melhores:

O debate na Record dominou os trending topics do Brasil no Twitter, assim como ocorreu nos encontros anteriores entre Dilma e Aécio. Apareceram nos assuntos mais comentados ao longo do embate os termos #QueroDilmaTreze, Brasil a Amazônia, Metrô de Fortaleza, Nova Escola Brasileira, Celso Freitas, Chico Buarque, Prouni e Pronatec.

Dilma Rousseff foi mais citada do que Aécio durante o debate no Twitter, com cerca de 1.900 menções por minuto, contra cerca de 1.800 do tucano.

Veja outras tuitadas do debate:

Debate no SBT inspira memes autorreferentes à emissora

Por Ygor Salles
16/10/14 19:23

Os debates no SBT sempre têm um desvio de atenção extra nas redes sociais: os internautas adoram fazer (e ver) memes que fazem referência aos programas da emissora. O encontro entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) na noite desta quinta-feira não foi diferente.

Veja os melhores memes do debate:

Também foi recorrente entre os internautas reclamações sobre o nível do debate, recheado de acusações vindas das duas partes.

Assim como os demais, o debate no SBT dominou os trending topics do Twitter no Brasil. Apareceram entre os assuntos mais comentados da rede social os termos #DebateNoSBT, #dilmavaiperderaecio45vencer, Igor Rousseff, Sérgio Guerra, Minha Belo Horizonte e Carlos Nascimento.

Aécio, o libertador

Por Ygor Salles
15/10/14 00:14

Em um debate sem nanicos para fazer declarações engraçadas ou polêmicas, fica difícil ter memes na internet?

Claro que não.

O candidato à Presidência Aécio Neves (PSDB), logo no primeiro bloco do debate da Band, que ocorreu na noite desta terça-feira, disse uma frase que virou motivo de brincadeiras dos dois lados desse Fla-Flu que virou a eleição.

Num dos momentos mais tensos do bloco, o tucano disse que tem ouvido de eleitores um pedido para que “nos liberte deste governo do PT”.

Foi o suficiente para gerar uma série de piadas.

Veja as melhores:

Como era de se esperar, o debate dominou os trending topics do Twitter desde o início. Os termos #DebateDaBand, #AecioPelaMudanca, #MelhorcomDilma13, Boechat, Renata Campos e Marina Silva,
Tribunal de Contas de MG, Minas e Bolsa Família apareceram entre os assuntos mais comentados.

Ao longo da disputa, Dilma foi mais mencionada que Aécio. Teve uma média de 2.400 menções por minuto. Já o tucano marcou uma média de 2.200 tuítes por minuto.

Porém, o pico de menções foi de Aécio: 6.500 tuítes por minuto por volta das 23h10. Mas por um mau motivo: foi quando Dilma citou casos de nepotismo do tucano no governo de Minas.

Dilma, tucana?

Por Ygor Salles
09/10/14 11:50

É o que poderíamos concluir (erroneamente, claro) baseado nas buscas no Google feitas em outubro sobre a candidata à reeleição ao Planalto.

Segundo a empresa, a busca por “dilma 45″ é a quarta mais comum sobre a presidente no sistema de buscas na internet. É superior, inclusive, à busca por “Dilma 13″, a quinta colocada.

Eis a lista do ‘top 10′ das buscas sobre Dilma:

1. dilma
2. dilma rousseff
3. fora dilma
4. dilma 45
5. dilma 13
6. numero da dilma
7. dilma presidente
8. numero dilma
9. dilma numero
10. presidente dilma

Como podemos notar, foi comum os usuários buscarem no Google qual é o número para votar na presidente. E olha que, segundo pesquisa do Datafolha, ela era a candidata que os eleitores melhor conheciam o número: foi 71% de acerto, muito superior aos índices de Aécio Neves (60%) ou de Marina Silva (50%).

Uma busca no Google por “dilma 45″ geralmente leva para pesquisas eleitorais que possuem esse número (como, por exemplo, quando Dilma tinha 45% dos votos válidos em uma pesquisa do Datafolha) ou montagens ligando a imagem da presidente ao número.

Vitória de Dilma no Nordeste gera ataques a nordestinos nas redes sociais

Por Ygor Salles
06/10/14 15:32

Assim que foi confirmado o primeiro lugar de Dilma Rousseff no primeiro turno das eleições presidenciais, uma série de internautas começou os ataques aos nordestinos nas redes sociais –a presidente superou o Aécio Neves (PSDB) nesta região e também no Norte.

Algumas destas declarações pararam em uma página no Tumblr chamado ‘Esses Nordestinos’, que vem fazendo sucesso na internet nesta segunda-feira.

A mesma situação ocorreu em 2010, quando Dilma foi eleita presidente. Foi naquela época que a estudante de direito Mayara Petruso ficou famosa por este tuite:

Mayara

Ela não foi a única a falar este tipo de barbaridade no dia, mas foi o “bode expiatório”. Foi denunciada e condenada a 1 ano, 5 meses e 15 dias de prisão pelo crime de racismo, e a pena foi convertida em serviços comunitários. Além disso, perdeu o estágio em um escritório de advocacia.

Aparentemente as pessoas não aprenderam com a história de Mayara.

Mas, pensando (tarde demais) nisso, quase todos os citados no ‘Esses Nordestinos’ apagaram o post ou, mais drástico, a conta inteira no Twitter. Mayara também fez isso quando começou a ser retaliada pelos internautas e, como vimos, não deu muito resultado.

Veja algumas das manifestações contra nordestinos nas redes sociais:

Nordestino3

Nordestino2

Nordestino1

Nordestino4

Nordestino5

Nordestino6

Onde os invisíveis têm vez

Por Ygor Salles
04/10/14 13:51

Invisível

“Faz 60 dias que cheguei em São Paulo, mas logo que pisei aqui roubaram todos meus documentos e agora tô na rua. Não é fácil não, ganho um dinheiro olhando carro, mas o foda é que eu uso muita droga, uso de tudo, menos maconha. O que eu mais sinto falta é de um abraço, uma risada, uma conversa tipo a nossa assim, dessas coisas, cara. Minha mãe me abandonou quando eu era moleque ainda porque nasci com uma deficiência. Cresci com a minha avó, mano, ela é tudo pra mim, mas não quero voltar lá pra dar trabalho, quero me arrumar, parar de usar droga e trabalhar pra voltar bem e ser orgulho pra ela.”

Essa poderia ser a história de um parente, um vizinho de infância, um conhecido. Talvez até seja, mas foi contada por um morador de rua –aquele mesmo que a grande maioria das pessoas trata como um ser invisível ou, pior, como uma iminente ameaça.

Dar voz a estas pessoas –no caso descrito acima, o jovem Bruno, 24– é o trabalho feito pela página no Facebook “SP Invisível”, que já tem mais de 40 mil seguidores.

A página é tocada pelo estudante de jornalismo Vinicius Lima, 18, e mais um amigo. Foi criada no início do ano para contar histórias em primeira pessoa –com todos os seus problemas. Sai na linha da famosa página “Humans of New York”, que retrata moradores da cidade americana e virou sucesso na rede, com mais de 10 milhões de seguidores.

Com o passar do tempo, o “SP Invisível” achou o perfil ideal de pessoas para retratar: os moradores de rua.

“A vida de todo mundo era boa no Facebook. Decidimos então mostrar a vida como ela é, com vícios, tristezas, decepções e tudo”, explica Lima. “Normalmente [os moradores de rua] são as melhores histórias e as mais despercebidas”.

Para fazer as postagens, a dupla tenta uma abordagem mais descontraída, grava a conversa e transforma o material em um texto em primeira pessoa.

“A maioria recebe bem, gosta da foto, gosta do papo. Eles querem mais ser ouvidos do que ajudados”, explica o estudante. “Não que a ajuda não seja importante: não podemos perder o foco, que é abrir a cabeça e os olhos do pessoal para então ajudarem os que estão à sua volta.”

Nanicos dominam Facebook no debate na Globo

Por Ygor Salles
03/10/14 13:20

O trio de presidenciáveis nanicos Luciana Genro (PSOL), Eduardo Jorge (PV) e Levy Fidelix (PRTB) iria adorar se menção em rede social durante debate valesse voto.

Segundo dados do Facebook, os três foram os candidatos mais citados ao longo do último embate entre os candidatos ao Planalto antes das eleições de domingo. No total, a rede social registrou 12,9 milhões de interações (postagens, curtidas, comentários ou compartilhamentos) ao longo do programa.

Sem ‘medo’ de perder voto ao adotar posições firmes sobre questões polêmicas, como a descriminalização das drogas e do aborto e a união homoafetiva, os três acabam por garantir mais menções.

Segundo o Facebook, Luciana Genro foi a candidata mais citada do debate. Na sequência apareceram Levy Fidelix, Eduardo Jorge, Marina Silva (PSB/Rede), Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e, na lanterna, Pastor Everaldo (PSC).

A rede social já acumula mais de 240 milhões de interações sobre eleições desde o início da disputa, vindas de 35 milhões de perfis diferentes –pouco mais de um terço dos 89 milhões de usuários mensais ativos que ela possui no Brasil.

Qual é o próximo tema?

Por Ygor Salles
03/10/14 01:46

O debate dos presidenciáveis na Globo, como esperado, dominou as redes sociais na noite desta quinta-feira. Ao fim do evento, sete dos dez trending topics (assuntos mais comentados) no Twitter no Brasil eram sobre isso: #LucianaNaGlobo, #BrasilMarina40, #Dilma13MudaMais, #AécioSambandoNaDilma, Paulinho da Força, Mudanças Climáticas e Capital Privado.

Apesar de o debate ter sido acalorado, as frases de efeito dos candidatos não produziram muita repercussão, ao contrário do que aconteceu com Eduardo Jorge, Luciana Genro e Levy Fidelix nos encontros anteriores.

Nas redes sociais, quem ganhou desta vez os holofotes foi o mediador do debate, o jornalista William Bonner.

Ganhou especial atenção a cesta de onde Bonner retirava os temas do debate. Que, na mão dos internautas, logo se transformaram no melhor meme do evento:

Outro destaque foi o encontro entre Levy Fidelix e Eduardo Jorge na bancada. Apesar do tema sério entre os dois –trocaram duras palavras em relação ao discurso contrário aos gays do candidato do PRTB no debate da Record–, a semelhança física com os personagens Senhor Barriga e Seu Madruga foram mais notados.

Perfil no Instagram mostra passageiros aéreos em situações bizarras

Por Ygor Salles
30/09/14 10:55

Se a classe média reclama dos novos frequentadores dos aeroportos brasileiros (quem nunca ouviu um “aeroporto agora parece rodoviária” por aí?), é porque não deve ter conhecido ainda o novo perfil-sensação do Instagram, o Passenger Shaming.

Como o nome da conta diz, ela mostra passageiros em situações vexatórias dentro de aviões e aeroportos ao redor do mundo. É alimentado de forma anônima por outros passageiros e comissários de bordo através da hashtag #passengershaming e já tem quase 160 mil seguidores.

Garanto que, depois de conhecer a conta, a #classemediasofre vai repensar seus padrões do que é um comportamento vergonhoso em voos.

Vamos, então, a alguns tipos de passageiros aéreos que podemos (infelizmente) encontrar por aí, segundo o PassengerShaming:

1. A que acha que a mesinha para refeições é um espaço a ser ocupado pelo seu filho:

Shaming1

2. O precavido até demais:

Shaming2

3. A que deixou as unhas crescerem para se agarrar melhor no banco:

Shaming3

4. O que decidiu largar toda a papelada do trampo ali mesmo e foi fazer outra coisa da vida:

Shaming4

5. O que não consegue esperar o fim do voo para se exercitar. Saúde é o que interessa, o resto não tem pressa, ieié:

Shaming5

6. A que não tem tempo de ir ao pedicure entre um voo e outro:

Shaming6

7. O que acha que o avião é uma balada em Ibiza (se é que alguma balada em Ibiza aceita gente com calça de moleton):

Shaming7

8. “Qualquer hora é hora”:

Shaming8

9. O que não se conforma com o pouco espaço de sua ~minúscula~ poltrona na classe executiva:

Shaming9

10. O que quer mostrar suas meias soquete pretas para todo mundo:

Shaming10

11. O que… bom, acho que chega por hoje.

Shaming11

Tiririca 'fake' defende homossexuais após ataque de Levy

Por Ygor Salles
29/09/14 12:11

Veio de um ‘fake’ político a resposta mais contundente até agora para o discurso homofóbico que o presidenciável Levy Fidelix fez durante o debate na Record, na noite deste domingo.

Para recapitular: questionado por Luciana Genro (PSOL) sobre a questão da união homoafetiva, Levy disse que “aparelho excretor não reproduz”, atrelou a homossexualidade a casos de pedofilia na Igreja e conclamou “a maioria” a “enfrentar essa minoria”. “Não tenha medo de dizer que sou pai, uma mãe, vovô, e o mais importante, é que esses que têm esses problemas realmente sejam atendidos no plano psicológico e afetivo, mas bem longe da gente, bem longe mesmo porque aqui não dá”, concluiu.

Desde então, Levy vêm sendo criticado (e, em menor grau, elogiado) nas redes sociais pelo que disse. A hashtag “LevyVocêÉNojento” está desde então no topo dos trending topics (assuntos mais comentados) no Twitter no Brasil.

Porém, poucos são os políticos de peso que foram às redes sociais para criticar a posição de Levy. Tanto que coube ao perfil ‘fake’ do palhaço Tiririca, que disputa a reeleição a deputado federal em São Paulo, o posto de melhor resposta até agora.

Eu esperava que os presidenciáveis não deixassem o discurso de Levy Fidelix passar batido, mas até agora só os “nanicos” Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (PSOL) se pronunciaram. Ambos usaram o caso para justificar a necessidade de aprovar a lei que criminaliza a homofobia, que está no plano de governo de ambos:

PS: Eu, que sempre sou crítico de quem cai nessas, fui a vítima da vez: a conta não é do Tiririca, e sim de um ‘fake’. Mas a repercussão é válida.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Folha Shop