Publicidade

#hashtag

Mídias sociais e a vida em rede

Perfil Ygor Salles é editor-adjunto de Mídias Sociais da Folha

Perfil completo

Dilma: você ama ou odeia?

Por aboni
13/03/15 16:22

Por Ana Paula Boni

 

#dilmalindaobrasilteama: não se fala em outra hashtag nas redes sociais.

Nasceu há um ou dois dias e, recheada de ironia, é usada por muita gente que quer protestar contra o governo Dilma Rousseff. Sim, você leu protestar.

De ontem até agora, é citada em 37.250 tuítes, ante 3.982 tuítes que usam o #dilmafeiaobrasilteodeia, segundo o site Topsy, que faz esse tipo de medição.

Não dá para se ter certeza de quem criou o #dilmalinda, mas um garoto que diz ser de Bagé (RS) ajudou a espalhá-lo.

 

 

O garoto, que tem mais de 200 mil seguidores, foi citado em post do site O Antagonista, que diz ser hoje o dia do tuitaço da CUT –em manifestações pelo país em defesa da Petrobras e do governo– com a hashtag #dia13diadeluta para competir com o #dilmalinda.

Dê uma olhada em alguns dos posts irônicos ou de uso inverso com o #dilmalinda:

 

 

 

 

E de quem ri da brincadeira ou tenta explicar a ironia…

 

 

 

E ainda do pessoal a favor do governo, usando a mesma hashtag, só que sem ironia, e complementando com o #dia13diadeluta (que foi citado de ontem até agora em 17.883 tuítes) e o #domingoeunaovouporque (citado em mais de 15.680 tuítes):

 

 

 

 

Mas, como tudo nas redes, o #domingoeunaovouporque também ganhou ironia e brincadeiras:

 

 

 

Campanha incentiva internautas a mostrarem suas letras nas redes sociais

Por Ygor Salles
05/03/15 12:32

É difícil uma hashtag subir por um motivo fofo ou nobre, e por isso vou dar espaço para esta –que, no caso, é fofa.

Desde o final da semana passada, uma série de internautas começaram a postar imagens de suas letras. O que, convenhamos, realmente poucas pessoas reconhecem de uma das outras, visto que o mundo digital tornou este hábito bem mais raro que antes.

A campanha começou no Instagram, mas logo se espalhou para o Facebook e para o Twitter –neste último, ela só chegou há três dias.

No geral a frase escrita por quem participa é padrão: “Uma coisa que a gente não conhece mais: a letra das pessoas. Esta é a minha”. Geralmente é seguida pela hashtag e por frases de incentivo para que seus seguidores façam o mesmo.

Por isso, mostrarei abaixo algumas que fugiram um pouco do padrão:

Teve gente com senso de oportunidade e aproveitou a onda, como o Ministério do Turismo:

E, claro, quem reclamou ou tirou onda com quem está participando:

Algo me intrigou na campanha: a grande quantidade de letras bonitas. Não sei ainda se é porque as pessoas com letras feias estão, digamos, temerosas em mostrar seus garranchos para o mundo ou se realmente as pessoas (ainda) sabem escrever direito com a mão.

Um colega dos tempos de colégio dizia sobre sua letra de mão, esta entidade cada vez mais escanteada pelo mundo digital: “Só eu e Deus entendemos. Uma semana depois, só Deus. Duas semanas depois, nem Deus”. Talvez os mais tímidos estejam imbuídos deste espírito.

Encerro o post com a minha letra. Que já foi melhor, mas ainda ganha de lavada da maioria da redação desta Folha:

20150305 Letra 2

Fãs se despedem de Leonard Nimoy nas redes sociais

Por Ygor Salles
27/02/15 16:17

Não há lugar melhor que a internet para que um ídolo ‘nerd’ seja reverenciado em sua morte.

É o que estamos vendo no caso de Leonard Nimoy, lenda da geração geek por encarnar o sr. Spock, de ‘Jornada nas Estrelas’.

Não vou me alongar sobre a importância de Nimoy para esse pessoal, coisa que o fã ardoroso de ‘Star Trek’ Salvador Nogueira já fez em seu blog nesta Folha (aliás, recomendo a leitura).

Nas redes sociais, o bordão ‘vida longa e própera!’ e a saudação dos originários do planeja Vulcan (aquela mesma em que se juntam os dedos indicador e médio e depois o anelar e o mindinho) já se espalharam como forma de agradecimento ao ator.

A hashtag #RIPLeonardNimoy quase chegou ao topo dos trending topics mundiais do Twitter. Bom, nem ele conseguiu desbancar a polêmica da cor do vestido.

Veja algumas das manifestações:

O mundo quer saber: qual é a cor deste vestido?

Por Ygor Salles
27/02/15 09:03

Quem somos? De onde viemos? Para onde vamos? Ser ou não ser? Biscoito ou bolacha?

Todas essas perguntas ficaram menores nas redes sociais desde a noite de ontem. A pergunta mais feita agora é: qual é a cor deste vestido?

É uma pergunta besta, claro, mas que vem quebrando a internet nas últimas horas.

Só para ter uma ideia: nos trending topics (assuntos mais comentados) em todo o mundo no Twitter, o termo ‘#TheDress’ (o vestido, em inglês) está em primeiro lugar. Segundo o site Topsy, já foi usada em quase 600 mil tuítes. Nos TT’s brasileiros, sobre este tema aparecem neste momento os termos #PretoEAzul, #TheDress, Azul e Preto e Vestido.

Por enquanto, as opiniões mais comuns são que o vestido é preto e azul (usando as hashtags #PretoeAzul ou #AzulePreto) o branco e dourado (usando as hashtags #BrancoeDourado ou #DouradoeBranco).

Veja algumas das manifestações sobre o assunto:

E temos a resposta! É preto e azul. Trata-se de um vestido pela grife britânica Roman.

O motivo da dúvida é que a imagem está com muito pouco contraste. Tudo uma questão de iluminação.

Fim do mistério. Agora podemos voltar à programação normal.

A corrida pelo Telegram

Por Ygor Salles
26/02/15 11:08

Nas últimas 24 horas, o Whatsapp desta Folha recebeu uma enxurrada de correntes como esta abaixo (os erros de português fazem parte da corrente, então não me crucifiquem):

“Antenção! Galera do Whatsapp
Amanhã a partir da 12:00 meia noite, o whatsapp vai ser suspenso temporariamente, ou seja, vai sair fora do ar por causa do Juiz do Piauí que fez um processo e foi sucedido.
Agora baixem o TELEGRAM, pois é a mesma coisa que o whatsapp, igualzinho. Então para vocês não ficarem sem contato com uma certa pessoa, avise-a.
Quero que passe para os grupos para que todos saibam q o whats ficará suspenso, agora devemos usar o TELEGRAM, pois ele não precisa de internet rápida e é mais prático. Obrigado pela atenção! Repassem nos grupos ou contatos!”

Ao mesmo tempo, os termos ‘Telegram’ e ‘Whatsapp’ entraram nos trending topics (assuntos mais comentados) do Twitter no Brasil, e estão lá até agora.

O motivo do alvoroço vem diretamente do Piauí. O juiz Luiz de Moura Correia, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, ordenou que provedores de internet e de conexão móvel, como as operadoras de telefonia, suspendam o uso do Whatsapp. Segundo ele, o objetivo da medida é forçar a empresa dona do aplicativo a colaborar com investigações da polícia do Estado –o que ela não faz, segundo Correia, por não ter escritório no Brasil, não tendo portanto de cumprir a lei brasileira.

No meio da divulgação da notícia e do imbróglio causado, já que as operadoras estão recorrendo e o aplicativo continua funcionando, um certo pânico se instalou entre os usuários. Afinal de contas, o WhatsApp tem hoje mais de 700 milhões de usuários ativos, e o Brasil está entre os cinco maiores mercados do app.

Não demorou muito para que o alvoroço chegasse às redes sociais.

(Lembrando que este último tuíte é de uma conta fake, sem stress por favor).

E onde o Telegram entra nesta história? Bem, o Telegram é uma espécie de concorrente do WhatsApp. Foi criado em 2013 por dois russos, mas a sede da empresa fica na Alemanha. São bem mais modestos: possuem 50 milhões de usuários ativos, segundo o último dado por eles publicados, em dezembro do ano passado. Mas prometem um serviço gratuito, mais ágil e ‘seguro’.

20150226 Telegram

Logo, as pessoas passaram a sugerir, em meio ao risco de bloqueio do Whatsapp, que todos migrassem para o Telegram, o que explica a corrente mostrada no início deste post e o fato de o app aparecer nos TTs.

Tem também quem critique a mudança –afinal de contas, o WhatsApp ainda funciona.

A corrida pelo Telegram ou qualquer outro app de mensagem eletrônica só evidencia algo que a indústria fonográfica não aprendeu com a internet e, aparentemente, a Justiça brasileira também não: não adianta matar o mensageiro se o remetente da mensagem está vivo, pronto para usar outro mensageiro.

Bloquear o WhatsApp no Brasil pode até funcionar para que a empresa dê o braço a torcer e colabore com a tal investigação cajuína, mas quem quer trocar uma mensagem (ilegal ou não) vai sempre achar outra maneira. Hoje há a opção do Telegram, amanhã será outro, e assim sucessivamente. O Napster manda abraços.

Atrizes pornô detonam '50 Tons de Cinza', e vídeo vira hit

Por Ygor Salles
23/02/15 15:00
Jamie Dornan e Dakota Johnson interpretam os protagonistas de "Cinquenta Tons de Cinza"

Jamie Dornan e Dakota Johnson interpretam os protagonistas de “Cinquenta Tons de Cinza”

Não foi só Barbara Gancia que se entediou com ’50 Tons de Cinza’, quando escreveu nesta Folha que o filme era sadismo politicamente correto.

As atrizes pornô Nadia Styles, Mercedes Carrera e Nina Elle fizeram na semana passada um vídeo para o site de entretenimento americano ‘Funny Or Die’ dando cinco motivos para odiarem a adaptação da trilogia literária de mesmo nome.

E elas detonam a película sem piedade, criticando desde o machismo da obra até o fato de o filme ser, simplesmente, ruim.

Veja abaixo:

’50 Tons de Cinza’

E, em se tratando de um tema polêmico, o vídeo bombou. Sua versão oficial no Youtube já tem mais de 1 milhão de visualizações, sem contar cópias espalhadas pelo Facebook e pelo próprio Youtube.

Resumidamente, os cinco motivos elencados pelas atrizes pornô são:

1) É só um filme clichê de um homem dominador e uma mulher submissa;
2) Há pornografia grátis na internet;
3) É mal escrito e mal interpretado;
4) Não vão mostrar sexo ‘de verdade’ na mesma sala de cinema que mostrou ‘Bob Esponja’ semanas antes;
5) Se for para ir ao cinema, melhor prestigiar o cinema independente.

E vocês, concordam com elas?

Moça Gaga

Por Ygor Salles
22/02/15 23:53

Os vestidos usados na noite do Oscar costumam ser fonte de muitos memes. Não seria diferente neste ano.

A cantora Lady Gaga foi um dos alvos desta vez.

Ela foi para a premiação (onde, inclusive, cantará uma canção) com um vestido longo e luvas vermelhas.

O problema: as tais luvas, para os internautas, pareciam aquelas que a gente usa para fazer atividades domésticas.

Daí a dizer que a cantora estava parecendo uma empregada doméstica, foi um pulo. Ainda mais contra ela, que possui uma legião de detratores nas redes sociais.

Veja os melhores memes:

COMBO: Ainda teve quem brincasse com o penteado escolhido pela cantora. Parece ou não com a Bruxa do 71?

O impeachment na boca (e telas) do brasileiro

Por Ygor Salles
12/02/15 10:32

Parafraseando Lula, nunca antes na história deste país se falou (ou buscou) tanto na internet brasileira sobre impeachment.

Em tempos de operação Lava Jato, corrupção na Petrobras e adjacências, este dispositivo constitucional já usado para tirar Fernando Collor do Planalto em 1992 voltou a estar na boca do povo, ameaçando agora a recém-reeleita Dilma Rousseff (PT).

No Google, as buscas por ‘impeachment’ no Brasil batem recordes. Mensalão, em 2005? Nem chegou perto. Protestos de junho de 2013? Café pequeno.

O gráfico abaixo mostra a evolução da pesquisa pelo termo. Para explicar como funciona: como o Google não dá o número bruto de buscas, ele faz uma comparação ao longo do tempo da busca na comparação com o total de pesquisas feitas. Para o ponto mais alto ele dá o número 100, e para o restante é atribuído um valor a partir deste mais alto.

20150212 Impeachment1

Ao longo dos últimos 10 anos, tivemos outros três picos de buscas por impeachment. O primeiro foi em agosto de 2005, quando estourou o escândalo do mensalão. Naquele mês, as buscas pelo termo tiveram 33% da relevância equivalente a deste mês. O segundo pico foi em junho de 2013 (36%), e o último em outubro do ano passado, durante a reta final das eleições presidenciais (71%).

Aliás, as buscas deste mês estão bem ligadas ao resultado das eleições de 2014. Os Estados onde a busca por impeachment foi mais relevante foram os do Sul, além de São Paulo, Rio, Minas Gerais e Goiás. Tirando Minas e Rio, em todos eles Aécio Neves (PSDB) teve mais votos que Dilma Rousseff.

20120212 Impeachment2

(Antes que alguém diga que tem mais buscas nestes Estados porque são mais populosos ou algo que o valha: assim como na mensuração ao longo do tempo, o Google leva em conta aqui a porcentagem de buscas pelo termo em relação ao total de buscas).

Vale lembrar que isso não significa que todo mundo está buscando porque quer o impeachment de Dilma. Também é isso, mas não é desprezível o volume de gente que quer se informar melhor sobre o tema, inclusive para poder rebater com informação quem é a favor. Prova disso é que, nas buscas relacionadas, o nome de Collor aparece com razoável frequência.

Twitter

Segundo o Topsy, o termo impeachment já foi usado em mais de 112 mil postagens no Twitter ao longo dos últimos sete dias, quando aconteceu uma nova fase da Lava Jato e a então mandatária da Petrobras, Graça Foster, pediu demissão.

Mas a maior parte dos comentários com mais relevância, segundo a ferramenta, fazem mais piadas com os pedidos de impeachment do que pedem o impeachment. O famoso espírito “hue hue BR’ em ação.

Veja alguns deles:

Aliás, o nome do vice-presidente Michel Temer é comum quando se fala do tema no Twitter –inclusive o termo ‘Temer’ chegou aos trending topics (assuntos mais comentados) do Brasil da rede social por duas vezes ao longo da semana. Um sinal do ‘contra-ataque’ dos petistas ao pedido de destituição de Dilma, lembrando que o vice assume caso isso ocorra, e não o segundo colocado da eleição (Aécio) ou outro depois de uma eventual nova eleição.

Faça seu próprio filme com Van Damme

Por Ygor Salles
05/02/15 10:48

Demorou, mas pegou.

O ator de filmes de ação Jean-Claude Van Damme estrelou em fevereiro do ano passado uma série de cenas de ação com fundo verde.

O objetivo era permitir que qualquer pessoa usasse o material e colocasse qualquer imagem no fundo. Isso mesmo: qualquer um poderia fazer uma cena de ação com o astro belga.

Aqui, um exemplo:

Van Damme atirando

O material foi posto no ar pela Green Footages, empresa especializada em efeitos especiais, através de sua conta no Youtube.

Porém, o que poderia ser uma ótima fonte de memes não foi para frente por falta de divulgação.

Isso até o início desta semana, quando o material finalmente foi ‘descoberto’ pela imprensa americana, e o meme logo se espalhou.

E, claro, temos um vídeo melhor que o outro pipocando na internet nas últimas 24 horas.

Veja alguns já produzidos:

1) Van Damme falhando miseravelmente em desativar uma bomba

Van Damme

2) Van Damme contracenando com Nicolas Cage

Van Damme

3) Van Damme x Zumbis

Van Damme

4) Van Damme batendo em um policial

Van Damme

5) Van Damme contra os tubarões de Katy Perry no Super Bowl

Van Damme

6) Van Damme enfrentando um gordinho pretensioso (provavelmente quem fez o vídeo)

Van Damme

7) Van Damme fugindo de um periquito gigante

Van Damme

8) Van Damme com raiva das pobres ovelhas

Van Damme

9) Van Damme resolvendo suas diferenças com Pete Carroll, técnico do Seattle Seahawks

Van Damme

Caso você queira ver as ‘opções’ para fazer o seu Todos os ‘takes’ de Van Damme em fundo verde, é só clicar aqui.

O que você faria com R$ 88 bilhões?

Por Ygor Salles
28/01/15 16:58

Dá para fazer muita conta com R$ 88 bilhões, não é mesmo?

Este é o tamanho estimado (para ser mais exato, R$ 88,6 bilhões) pela presidência da Petrobras para a baixa no valor dos ativos da estatal causada pelos atos de corrupção investigados na operação Lava Jato, além de perdas não relacionadas com irregularidades, como variações nos custos de matéria-prima e produtos vencidos, além de falhas e contingências nos projetos, dentre outros.

Tal valor deveria ter entrado no balanço da empresa do terceiro trimestre do ano passado, divulgado nesta quarta-feira (28), mas não foi por falta de consenso sobre o método empregado no cálculo (mais informações sobre como a conta foi feita podem ser encontradas aqui).

Além do resultado econômico prático de não fazer a baixa contábil já, que faz com que a ação da Petrobras despenque na Bovespa, há ainda (mais um) desgaste de imagem para a empresa.

Nas redes sociais, o caso chegou ao topo dos trending topics (assuntos mais comentados) do Twitter no Brasil de uma forma inusitada: todos dizendo o que fariam se tivessem R$ 88 bilhões em mãos.

Veja algumas das mensagens:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade