O ‘Funkeiro Canguru’ e suas placas

Por Ygor Salles

Quem é habitué da avenida Rubem Berta (uma das que formam o corredor norte-sul paulistano) e adjacências provavelmente viu nos últimos meses umas placas deveras estranhas no caminho.

As tais placas, espalhadas por toda a região, dizem apenas “Youtube Funkeiro Canguru”.

Por óbvio era de se esperar uma música do tal “Funkeiro Canguru” no site de vídeos. Durante um bom tempo pensei em ver o que se tratava, mas sempre esquecia.

Pois bem. Ontem percebi que as tais placas sumiram. Talvez por obra da Prefeitura,  já que o “Funkeiro Canguru” burlou a lei Cidade Limpa para fazer a sua propaganda.

Aí vai um exemplo que um amigo meu postou ontem. Esta, que eu não conhecia, estava na Vila Mariana:

Resolvi então que o esforço do “Funkeiro Canguru” não poderia ser em vão e fui ver o tal vídeo.

E, claro, não iria privá-los do mesmo. Eis a pérola:

[youtube 2BwOncW1BE0 nolink]

Seria uma espécie de mistura de “Friday” (Rebecca Black, lembra? Fez sucesso em 2011 como o ‘pior videoclipe do mundo’) com “The Fox (What Does the Fox Say?)” (A raposa –o que a raposa diz?), música de dois irmãos noruegueses que entrou no ar uma semana antes do “Funkeiro Canguru” e já obteve impressionantes 174 milhões de visualizações.

“Funkeiro Canguru”, claro, é mais modesto. Tem pouco menos de 8.000 visualizações.

Mas me intrigou que, nos comentários, muita gente diz ter chegado ao vídeo graças às tais placas. Prova de que, mesmo que o objetivo seja fazer sucesso na internet, uma publicidade, digamos, off-line ainda funciona muito bem.