Trago a pessoa amada em três cliques

Por Daniela Braga

Por Maria Júlia Marques

Não, aqui não é site de namoro online ou macumba virtual, nada disso. Mas por incrível que pareça –ou por mais óbvio– existem outros meios de descobrir com quem você vai se relacionar pela internet. Tem quem consiga prever com quem você irá ou está envolvido e até se o namoro está fadado ao fracasso sem bola de cristal, analisando apenas seus amigos do Facebook. Acredita?

Não é balela. Explico: depois de analisar 1,3 milhão de usuários da rede social que tinham ao menos 20 anos, de 50 a 2.000 amigos e postassem no perfil se estão casados ou em um relacionamento sério, Jon Kleinberg, cientista da computação da Universidade de Cornell, nos EUA, e Lars Backstrom, engenheiro sênior do Facebook, descobriram que cada pessoa que você aceita em seu perfil pode ajudar a encontrar sua alma gêmea –sem muita poesia e com mais números e contas.

Primeiramente, concluíram que o número total de amigos em comum de duas pessoas não é um indicador válido para garantir que dali nascerá um casamento, mesmo sendo ótimo para puxar conversa no chat. O que realmente determinará seu futuro amante é uma medida que apelidaram de “dispersão”.

Esse critério mede não só os amigos em comum, mas colegas do casal distantes, que provavelmente não se conhecem. Assim, o pretendente não será aquele que conhece todos seus amigos, mas o que tem amigos em comum que não são muito conectados aos seus, fazendo uma ponte entre diferentes mundos sociais. Seu namorado em potencial precisa ter uma alta “dispersão” com você, ou seja, o importante é que ele una dois grupos de amigos distintos.

O centro é uma pessoa investigada e seus grupos sociais estão espalhados a direita, esquerda, acima e abaixo. O ponto no coração, que liga dois grupos de amigos distintos, é o respectivo cônjuge

Ainda duvida? Com base nessa teoria, ao analisar as contas com “casado” no status, os acertos de quem eram os cônjuges do dono do perfil foram de 60%. Quanto aos que tinham “em um relacionamento sério”, o parceiro foi identificado corretamente em um terço dos casos.

É o amor em fórmula no Facebook.

Ninguém é stalker a nível de acertar affaires de desconhecidos tantas vezes, espero.

Se seu relacionamento foge a essa regra, não tenho boas notícias. A constatação mais intrigante do estudo é que, quando a teoria falha, a relação está indo por água abaixo. Um casal que tenha seu status declarado no Facebook mas não tenha uma “dispersão” alta estão 50% mais propensos a romper, segundo a pesquisa, que seguiu os usuários por dois anos.

A rede social desenvolveu a pesquisa para monitorar mais precisamente o perfil de seus usuários e mostrou que um bom companheiro é aquele que abre seus horizontes para novas amizades.

Caso esteja procurando alguém, não gaste dinheiro pensando em achar a pessoa amada em três dias: só dê uma boa fuçada nos amigos do Facebook e seja feliz.