E o Tubby é fake

Por Ygor Salles

As mulheres podem respirar aliviadas, os homens podem parar de pensar em se vingar da ex-namorada, a Justiça mineira pode cancelar a liminar que expediu na quarta-feira.

O Tubby, suposto app que seria uma versão masculina e hipersexualizada do Lulu, é um troll.

Relembrando a história: há pouco menos de um mês, a app Lulu chegou com alvoroço no Brasil. Nele, mulheres avaliam os homens através de hashtags, e isso vira uma nota. Houve muita polêmica sobre o tema, pois muitos homens não gostaram das avaliações e, principalmente, do fato de terem sido expostos sem aviso prévio.

No meio desta polêmica apareceu o site http://www.tubbyapp.com, que prometia a criação do app que seria a versão masculina do Lulu –homens avaliando mulheres. A polêmica foi ainda maior, chegando ao ponto de o juiz Rinaldo Kennedy Silva, da 15ª Vara de Crimes contra a Mulher de Belo Horizonte, conceder liminar que mandava bloquear o acesso e a instalação do app.

A promessa era que o app fosse disponibilizado até a última quarta-feira, mas foi adiado por 48 horas –ou seja, hoje. Mas na noite de ontem a história mudou com a divulgação da farsa. Lá há um vídeo com um suposto investidor coreano que fala sobre as funcionalidades do app. Mas, ao abrir as legendas em coreano, aparece uma legenda em português que traz a verdade à tona.

Veja o vídeo abaixo:

O criador –ou um dos criadores– da trollada foi o blogueiro Mauricio Cid, do Não Salvo.

Ele aparece aos 1’30” do vídeo, no canto superior direito. Dê uma olhada:

20131206 Tubby

Durante a madrugada ele admitiu ser o dono da brincadeira:

O assunto, claro, já rende comentários nas redes sociais. Vamos a algumas delas: