Telexfree volta a ser assunto com patrocínio ao Botafogo

Por Ygor Salles

A Telexfree foi o segundo termo mais pesquisado por brasileiros no Google em 2013. Só perdeu para o ‘BBB 13′.

A empresa, que recrutou milhões de pessoas pela internet para divulgar um serviço de voz, teve sua atuação suspensa pela Justiça do Acre em junho sob a acusação de fazer pirâmide financeira. Na época, estipulava-se que, naquele Estado, nada menos que 10% da população participava do esquema.

(Antes que me perguntem: sim, o Acre existe).

O auge das buscas sobre a Telexfree no Google ocorreu entre junho e julho, quando ocorreu a proibição. Por conta deste caso, a empresa praticamente virou símbolo de pirâmide financeira por aqui.

Porém, já fazia algum tempo que o bafafá em torno dela estava diminuindo, como podemos ver abaixo no gráfico de pesquisas sobre o termo no Google.

20140109 Telexfree

Agora, a Telexfree ganhou um motivo para voltar ao centro das atenções dos nossos amigos internautas: a empresa fechou acordo para patrocinar o Botafogo. Ou seja, misturou um tema já explosivo com outro que naturalmente gera discussão, o futebol.

O resultado é que o termo Telexfree aparece entre os assuntos mais comentados do dia no Twitter.

E tem de tudo: divulgadores comemorando, críticos da empresa achando um absurdo e muita gente lembrando dos patrocinadores ‘obscuros’ do nosso futebol –principalmente a polêmica cogestão Fluminense-Unimed e a MSI, ex-investidora do Corinthians em meados dos anos 2000.

Claro que, dada a situação da empresa, a maioria esmagadora das pessoas criticam a empresa. Mas pode ser que ela seja adepta de uma das mais famosas frases de Paulo Maluf: ‘falem mal, mas falem de mim’.

Veja algumas das reações ao anúncio: