Depois de ‘matar’ Fidel tantas vezes, redes sociais duvidam de notícia

Por André Monteiro

A internet brasileira acordou em rebuliço neste sábado (26) com a notícia da morte do ditador cubano Fidel Castro. Ela foi anunciada pelo irmão de Fidel, Raúl, em pronunciamento na televisão estatal.

Símbolo da Revolução Cubana em 1959, Fidel permaneceu 49 anos no poder, antes de renunciar fevereiro de 2008.

Fidel durante o 7º Congresso do Partido Comunista cubano, em 19 de abril de 2016
Fidel durante congresso do Partido Comunista cubano, no dia 19 de abril (AFP/Agencia Cubana de Noticias)

Desde então, seus problemas de saúde e os longos períodos sem aparição pública alimentavam a boatos sobre sua morte. Não foram poucas as vezes em que notícias falsas viralizaram nas redes sociais, espalhadas de propósito ou sem querer.

A última vez que as redes haviam “matado” o ditador foi no início do ano passado, depois de Fidel ficar mais de um ano sem participar de eventos públicos. Até mesmo veículos como “Corriere della Sera” e “Diario de Cuba” chegaram a noticiar o boato como verdadeiro.

Agora, internautas brasileiros acordaram em dúvida se desta vez o cubano havia morrido mesmo. Veja algumas das mensagem postadas: