Wladimir Costa, o deputado da tatuagem, rouba a cena na votação da denúncia contra Temer

Por Mateus Luiz de Souza

Em mais um dia histórico na política nacional (são vários desde 2015), a votação da denúncia contra o presidente Temer, um personagem roubou a cena em Brasília nos últimos dias: Wladimir Costa (SD-PA). Vamos fazer um breve histórico de quem é ele.

Na segunda-feira apareceu a notícia que movimentou a internet: o deputado tatuou o nome de Temer no peito. A tatuagem, que ele afirma ser real, foi feita na quinta-feira (27) e custou R$ 1.200, segundo o deputado. Costa diz ter parcelado o valor em seis vezes no cartão de crédito. O deputado disse à Folha ter outras cinco tatuagens pelo corpo e conta como enfrentou a dor. “Doeu um pouco, mas eu lembrava do Temer, passava a dor”, afirmou.

Isso já o colocou no panteão dos personagens desta votação. No entanto, em seu discurso no plenário da Câmara, na tarde desta quarta-feira (2), Wladimir voltou a chamar atenção, pelas mais diferentes maneiras.

– Chamou o PT de organização criminosa e levou bronca do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.
– Ouviu gritos de “tira, tira” de deputados da oposição, querendo ver a tatuagem.

– Na saída, afirmou que deputados sentem “inveja” e “fetiche” em relação a sua tatuagem, como podemos ver neste vídeo.

– E ainda foi flagrado enchendo um pixuleco.

Wladimir Costa ainda chamou Jean Wyllys (PSOL-RJ) de “BBB”, anunciou, sem comprovar fontes, que a população do Pará aprova em 80% o governo de Michel Temer, discutiu com a oposição e muito mais. Por essas e outras, virou trending topic (assunto mais comentado) no Twitter. Confira repercussão.

O deputado também recebeu apoio.

O tuíte era velho, mas o retuíte relembrou uma importante questão.

Uma metáfora perfeita.

Esconde!

Vomitaço virtual

Mostra, mostra!