Atitudes de atletas estrangeiros despertam a ira de internautas brasileiros

Uma semana da Rio-2016 e o que teve? Teve brasileiro xingando muito no Twitter. Muito e muito e muito.

Primeiro foi Hope Solo, goleira do time de futebol dos EUA, que provocou o orgulho nacional antes mesmo dos Jogos começarem. Pra quem não lembra, a atleta postou em seu Instagram fotos com um kit contra o mosquito aedes aegypti, transmissor do vírus da zika. Pronto, o estrago estava feito. Durante as partidas que disputou, bastava a bola chegar perto dela que a torcida já começava a vaiar e a gritar “ziiiika”. Goleira que é, à imprensa americana, Hope Solo saiu na defensiva dizendo que já esperava ser vaiada. Quando sua equipe foi eliminada, nesta sexta (12), os memes, claro, não perdoaram.

Depois foi a vez de Aaron Russell, jogador de vôlei, também dos EUA. Após partida emocionante contra o Brasil na noite de quinta (11), na qual, inclusive, terminou em 3 sets a 1 para os americanos, o atleta fez sinal de “silêncio” (pra dizer assim… num termo um pouquinho mais elegante) para a torcida brasileira. O suficiente para alçar aos assuntos mais comentados do twitter a hashtag #ShutUpRussell.

Por fim — pelo menos até o término desta primeira semana olímpica –, o judoca francês Teddy Riner desagradou a torcida do seu adversário, o japonês Hisayoshi Harasawa, na disputa pela medalha de ouro. Isso porque, ao final da luta que o levou ao lugar mais alto do pódio, Teddy Riner se virou para a torcida e repetiu o gesto do jogador de vôlei americano. “O gesto [de pedir silêncio] foi para as pessoas que não acreditaram em mim”, disse o judoca francês após a vitória na final da categoria pesada (mais de 100 kg). O resultado: outra polêmica nas redes sociais.

Foto: Montagem
Foto: Montagem

Acompanhe a cobertura dos Jogos no nosso Facebook.