América em primeiro. E quem é o segundo? Países ‘trollam’ Trump com candidaturas

Ygor Salles

Tudo começou no final de janeiro, quando um programa de humor holandês chamado “Zondag Met Lubach” (algo como “Domingo com Lubach”, no caso o apresentador Arjen Lubach) resolveu fazer uma falsa campanha para ser o segundo melhor país do mundo.

O objetivo era brincar com o recém-empossado presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e um de seus bordões, o “America First” (“América em primeiro”).

Na propaganda (veja abaixo), o programa holandês usa a mesma retórica de Trump, promovendo com exagero o que o país tem de melhor –e, eventualmente, atacando países vizinhos.

O que Lubach não esperava era que seu vídeo se tornaria viral (já teve mais de 20 milhões de visualizações no Youtube) e inspiraria outros comediantes pelo mundo, em especial na Europa, a fazer o mesmo.

A febre foi tão grande que um site chamado Every Second Counts (Cada Segundo Conta) compilou todas as “candidaturas” a segundo melhor país do mundo. E cada uma é mais hilária que o outra.

Veja abaixo quem já entrou nesta disputa (em ordem alfabética porque não queremos influenciar sua escolha):

Alemanha

Bélgica

Cazaquistão (obviamente cita Borat)

Dinamarca

França

Índia

Itália

Lituânia (estranhamente querendo ficar em terceiro)

Luxemburgo

Portugal

Suíça

E, ao melhor estilo “o Sul é meu país”, algumas Províncias pela Europa resolveram fazer candidaturas avulsas:

Frísia (Holanda)

Guéldria (Holanda)

Ilha da Madeira (Portugal)

Suábia (Alemanha)

Turíngia (Alemanha)

Para fechar, o favorito dos fãs de Harry Potter: Hogwarts em segundo.