Natalie Portman não foi 1ª celebridade a estrelar ações pelo Brasil… sem saber

Mateus Luiz de Souza

Nos últimos dias, a internet se divertiu com a história de que um curso pré-vestibular do Colégio Da Vinci, em Patos de Minas (MG,) usou a imagem de Natalie Portman de cabelo raspado em anúncio.  A escola quis tratar o assunto “da forma mais discreta possível” e a agência de publicidade responsável pediu desculpas pela gafe.

Mas esse não foi o primeiro caso de uma celebridade internacional estrelar uma campanha por aqui… sem saber.

Em 2016, Elon Musk revelou um segredo a seus seguidores.

Entre lançar um foguete e outro, ele arrumou tempo para ter um segundo emprego como policial civil em Campo Grande (MS). É mesmo de se tirar o chapéu ao empresário da SpaceX e Tesla.

No anúncio que foi espalhado pela capital sul-matogrossense, o bilionário é visto com os braços cruzados e um brasão da polícia civil local no peito, acompanhado da mensagem “O policial civil exige respeito”, na qual a categoria reivindica direito como valorização salarial e efetivo ideal.

A campanha foi realizada pelo Sinpol (Sindicado da Polícia Civil do Mato Grosso do Sul). Em nota à época, o sindicato afirmou em sua página no Facebook que a agência responsável pela ação foi a Oceano Comunicação e que “a possível utilização indevida da imagem do Sr. Elon Musk, é de inteira responsabilidade da empresa contratada, sendo que o sindicato desconhece e não aprova o uso de imagem não autorizada”.

A Oceano Comunicação também se manifestou com um post em que reconhecia o erro.

Outro caso, ainda mais antigo, aconteceu em 2014 com o jornalista americano Seth Kugel (o Amigo Gringo), que à época escrevia sobre turismo para o The New York Times e que já havia morado no Brasil. Ele descobriu ter se tornado um imponente garoto-propaganda –em Roraima.

Kugel foi avisado que uma grande foto sua, com o resto da sua família, ilustrava o painel de uma agência de empréstimos em Boa Vista.

Ele só soube disso porque uma amiga paulista, de passagem pela cidade e pela avenida Sebastião Diniz, no centro da capital, surpreendeu-se com a figura do americano e lhe enviou uma foto.

Kugel resolveu, então, investigar como a sua foto foi parar na fachada da loja.

Os responsáveis pela filial de Boa Vista da CrediRápido disseram a ele que a escolha da foto tinha sido feita por uma firma local de propaganda.

Segundo Kugel, a CrediRápido perguntou se ele queria que a imagem fosse retirada. “O que, e acabar com os nossos 15 minutos de fama? Não!”